6 Perguntas que servem para orientar a avaliação do seu próximo LMS

Como Diretor Regional do Canvas, eu trabalho com centenas de escolas ao longo do ano durante seus processos avaliação de Sistemas de Gestão de Aprendizado. Embora seja verdade que cada avaliação de LMS é única, também é verdade que a maior quantidade delas possui muitas semelhanças no que diz respeito à obsessão pelos diferentes recursos oferecidos.

Não me entenda mal - os recursos são importantes, mas eles mudam o tempo inteiro. Você compraria um carro novo baseado exclusivamente nos recursos do veículo? Ou você basearia a sua decisão mais na confiabilidade, na experiência de usuário e na sua capacidade de confiar na concessionária?

Com isso em mente, considere fazer as seguintes seis perguntas para potenciais fornecedores de LMS, de forma que você possa obter uma ideia melhor do que há “sob o capô” do software e dos serviços deles.

1. Qual é o seu Net Promoter Score (NPS)?

O NPS é um índice que varia de -100 a 100 e que mede a disposição dos clientes em recomendar os produtos ou serviços de uma empresa para outras pessoas. Um valor de NPS relevante e de uma reputação de classe mundial fica na faixa entre 40 e 50, porém, em 2014, o valor médio para fornecedores de LMS foi um terrível -34. Algumas empresas não são autorizadas a publicarem seus valores de NPS, mas para evitar ser pego de surpresa com a oferta do provedor, você pode solicitar o valor conversando com funcionários.

2. Quão viável é a sua empresa?

Não conte com os representantes de vendas para dizer se a empresa deles está à beira de uma aquisição ou de uma falência. Considere as perguntas abaixo você mesmo para descobrir sozinho se existe a probabilidade de uma empresa (e seu LMS) estar operando daqui um ano:

-Há quanto tempo ela atua na área?

-Quantos funcionários ela tem?

-Qual é a participação de mercado?

-Quais são as instituições de grande porte que utilizam o seu LMS atualmente?

-A empresa é privada ou de capital aberto?

-Ela tem o suporte de investidores?

-A companhia pode fornecer uma cópia do seu balanço financeiro?

-Quem é o seu CEO e qual é a formação dele?

3. Como e quando seu LMS é atualizado?

Os recursos existentes são importantes, porém, mais importante que isso é o plano de desenvolvimento e o processo para criar novos recursos, além do cronograma de lançamento dos mesmos. Descubra se este plano de desenvolvimento do fornecedor é compartilhado em público, e se ele considera utilizar o feedback dos usuários como parte do processo de evolução da plataforma. Além disso, pergunte sobre o processo de atualizações. Ele é trabalhado de maneira mais relaxada ou existe um cronograma de lançamentos programados?

4. Que tipo de suporte você oferece?

Não se contente com respostas como “Suporte de nível 1”. Descubra o que os pacotes de suporte incluem e quais serviços são terceirizados ou fornecidos pelos funcionários da empresa. Quais são os tempos médios de espera? Eles têm acordos de nível de serviço (SLAs) para os tempos de espera? Qual a percentagem de problemas resolvidos durante a primeira ligação? Que tipos de usuários podem ligar pedindo suporte e quando? Perguntas como essas vão ajudar você a não se encontrar em um mar de promessas do provedor de LMS.

5. Qual é o seu tempo de atividade e você consegue garanti-lo?

Esteja preparado para ouvir todos os representantes de venda dizerem a você que o tempo deles em disponibilidade é 99,9% e, em seguida, esteja duplamente preparado para perguntar se há um relatório ou um site onde você possa verificar isso. Ao conversar com usuários, pergunte sobre a experiência deles com o tempo de inatividade, interrupções e o processo para a resolução. Você pode verificar as contas da empresa nas mídias sociais para ver se os clientes estão reclamando sobre o tempo de inatividade. Além disso, pergunte sobre o ambiente de hospedagem e o poder de engenharia. Certifique-se de que eles implementam sistemas suficientes, processos, segurança e funcionários para manter o seu LMS funcionando perfeitamente.

6. Quão aberta é a sua plataforma?

A solução para a fragmentação na educação tecnológica é a abertura, ou a capacidade dos sistemas de se comunicarem uns com os outros. Descubra se os seus potenciais fornecedores têm parcerias formais com outros fornecedores e se os LMSs deles utilizam especificações de interoperabilidade, como o padrão LTI e o SIF2. Eles têm APIs abertas para personalização? Quais integrações eles possuem atualmente e quão frequentemente eles adicionam novas? Eles são parte da iniciativa #GoOpen? Por fim, o LMS deles pode importar conteúdo de outros sistemas e você pode exportar o seu conteúdo (e em qual formato) caso você decida trocar de plataforma ao longo do tempo?

Lembre-se, não existe um AAA para o seu LMS. O seu fornecedor e a usabilidade do software dele, assim como a infraestrutura de hospedagem, os serviços de suporte e sua visão de futuro irão determinar se as iniciativas de ensino e aprendizado da sua escola vão continuar evoluindo - ou vão quebrar pelo caminho. Os recursos são importantes, mas apenas se o seu LMS já estiver em perfeita execução e sem problemas.

Siga aprendendo,

Justin Hibbard

Diretor Regional de K-12 do Canvas

Experimente a Versão Gratuita do Canvas por tempo ilimitado e veja como ele facilita o ensino e o aprendizado. Visite: www.canvaslms.com/brasil e faça seu cadastro para utilizar o Canvas, LMS aberto e com integrações que o auxiliam na sala de aula.